sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Silêncio


Sombras dançam sobre as pequenas mesas do salão abarrotadas de bules e doces.
Tem uma fumaça no ar dos sons que pulam de entre os dentes à mostra.
Sonham meninas e meninos, os de aventais assim como os de
abotoaduras.
Cai um tango do andar de cima, nota e outra nota descendo a escada
de madeira.
Dançam pés com sapatos de brilho e pés com sapatos bicolores, todos gastos.
Sobe do chão uma poeira que se vê na réstia do Sol que fura a janela
e vai cair, desrespeitoso, sobre a morta no caixão na casa vizinha, toda

em silêncio.

2 comentários:

  1. Um retrato do que não se vê, nem percebe, apenas depois de acontecer.

    ResponderExcluir
  2. Não se sabe se é bom ou ruim ...

    ResponderExcluir