terça-feira, 26 de julho de 2011

Cebolas fritas

As cebolas caíram na gordura quente no início da tarde, e chiaram.
Depois murcharam e ficaram quietas, perdidas na carne moída.
Esfriaram na panela até que alguém as levasse para o prato.
Seu cheiro rescendeu pela casa nas horas seguintes, poderosas que são.

Quando a noite passou pelo vidro da janela sobre o fogão, as cebolas restantes já estavam geladas.
Ela, a noite lhe caiu sobre o peito inerte, jaz no meio da cozinha.

4 comentários:

  1. Assim como as cebolas, a vida tem ser "comida" enquanto tem sabor.

    Muito bom texto.

    ResponderExcluir
  2. detalhes da vida que dão vida à vida.

    muito bom, parabéns!

    ResponderExcluir