quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

deixe as luzes acesas

enquanto eu ando perdido pelo vazio cinza do espaço, deixe acesas as luzes dos seus olhos.

até que minha luz cresça, me deixe seguir a orientação do seu farol.

as vagas crescerão mais e mais, as tempestades vão se formar e acalmar, as gaivotas farão ninhos nos seus ombros, o vento cantará aquela melodia suprema em seus ouvidos e se entranhará em seus ossos, o calor do Sol dançará melodias matinais em volta de ti.

deixa eu te seguir enquanto meu Sol viaja em outros mundos.

me sirva uma luz fraca, uma chama dançante enquanto me perco de mim e de ti, perco tudo aquilo que nunca tive nem fui nem pensei ser.

a sua luz vai acender a minha e então eu voltarei a cantar, minha dança tornará a ser faísca no espaço sideral, minha palavra resistirá ao que agora a sufoca e estará posta sobre tudo o que nos ofende.

brilha.

é seu brilho amoroso que me sustenta.

22.01.18


Nenhum comentário:

Postar um comentário